BLOG

BLOG

  • Thamara Laila

SEM FUNÇÃO SONECA

Atualizado: 6 de Out de 2019

O trânsito da cidade bloqueia pensamentos. Os papéis em cima da mesa estão transbordando. O telefone não para de tocar. Aconteceu isso, terminou aquilo, pensou nisso, fez aquilo outro. O almoço foi engolido, o texto relido. Tenta escrever suas ideias, mas os dez minutos de almoço já acabaram. Adianta isso, entrega aquilo, confirma aquilo outro. Abre a porta, larga a chave e vai pro computador. Engole o jantar, bebe água e pega mais canetas e papéis, Pe​n​sa no dia seguinte, termina de ler alguns textos. Deita na cama e apaga.


PENPENPEN!!!!!!!!!


Levanta apressada, toma banho, não tem condicionador. Se estressa por ter esquecido de comprar. Coloca a primeira roupa e prende o cabelo de qualquer jeito. Saí correndo, pega a bolsa e fica com o celular na mão. Mão? Precisa fazer as unhas! Compra jornal, liga para isso, vê aquilo, anota no bloco! Bloco? Precisa comprar mais bloco! E canetas, livros e maquiagem. Anota o que precisa comprar. Engole mais café.

Já faz algum tempo que não sabe o que significa silêncio. Vive o hoje pensando no amanhã. Corre daqui, apressa de lá!

Vai vai vai!

Tem que dar tempo. Termina, entrega, conclui! Tempo para os trabalhos, para as atualizações.

Tempo para checar os e-mails.

Tempo.

Vivia atrás dele! Vivia na cola dele! Tempo para tudo, menos para ela.

Texto escrito em 21 de fevereiro de 2013.

0 visualização
  • Ícone do Instagram Branco
  • Ícone do Twitter Branco
  • Branca Ícone Spotify
  • Branca Ícone Pinterest

© 2012 - 2019 por Thamara Laila. Site criado com Wix.com 
Todas as postagens aqui contidas são de autoria de Thamara Laila, exceto quando apontado

o contrário. As imagens utilizadas são feitas pela mesma ou fruto de reproduções, e se você

teve seu conteúdo publicado aqui e deseja que seja retirado, entre em contato. A reprodução dos textos sem os devidos créditos é proibida, assim como a redistribuição do conteúdo

aqui presente para fins comerciais. Para reproduzir algum texto é necessário autorização

do autor. Lembre-se: plágio é crime.